Na Corda

} Por favor, você pode me informar onde fica a repartição pública dos Centosdocumentos ?
} Alí meu senhor.
} Mas eu só tô vendo uma sacada sem nenhuma escada para acesso, como é que eu faço para chegar lá em cima ?
} O senhor não tá vendo aquela corda ?
} Tô... é pra puxar para tocar alguma campainha ?
} Não.
} Ué, a corda é pra que então ?
} É por ela que se sobe.
} Você tá brincando comigo !?
} É verdade.
} Mas isso é um abuso do govêrno para com os cidadões !
} Pois é.
} Me diga, e aquêle carro funerário que saiu de lá agora à pouco ?
} Tava fazendo a remoção dum cidadão que se enforcou.
} Coitado, porque ?
} Tava há vários meses tentando subir pela corda para obter documentos que o habilitassem para conseguir emprêgo.
} Porque dificultam tanto ?
} E o senhor já viu êles facilitarem alguma coisa para os cidadões ?
} Mas porque tanto ?
} Para as pessoas desistirem de quererem seus direitos.
} Agora me diga, e aquêle helicoptero que pousou lá em cima e desembarcou aquelas pessoas alguns minutos atráz ?
} Veio trazer os funcionários.
} Mas que mordomia hem !? Enquanto a gente tem que ralar tentando subir pela corda.
} Ué o povo paga impostos para ser empregado nalguma coisa.
} É, só em benefício dêles.
Ao chegar perto da corda êle encontra uma anciã.
} Minha senhora, o que é que a senhora está fazendo aquí ?
} Tô tentando subir.
} Mas a senhora também ainda precisa ?
} Oh meu filho, há vinte anos que eu tento subir, naquela época eu sabia prá que, agora já nem sei mais.
} Mas e porque continua tentando então ?
} Acho que fiquei tão condicionada que sinto falta o dia que não venho.
} É, tô vendo que desta vez o govêrno deu o tiro de misericórdia.
} Ah meu filho, não desanime ainda não, Você ainda é novo e vai acabar...
} Morrendo como os outros ?
} Não, que isso !? Você vai acabar conseguindo subir.
Joahermen